News Release

Ver versão para impressão View printer-friendly version
Download PDF Leia o relatorio completo
<< Back
Grupo LATAM Airlines divulga estatísticas operacionais preliminares de março de 2014

São Paulo, 11 de abril de 2014 – O Grupo LATAM Airlines S.A. e suas filiais (“Grupo LATAM Airlines” ou “a Companhia”) (NYSE: LFL / IPSA: LAN / Bovespa: LATM33), grupo de companhias aéreas líder em transporte de passageiros e carga na América Latina, informa suas estatísticas preliminares de tráfego para março de 2014, incluindo o comparativo com o mesmo mês de 2013.

O tráfego de passageiros aumentou 1,6%, enquanto a capacidade diminuiu em 3,8%. Como resultado, o load factor da Companhia para o mês cresceu 4,3 ponto percentual, alcançando 81,7%. O tráfego internacional de passageiros representou aproximadamente 53% do total no mês.

O tráfego doméstico de passageiros na operação da Companhia em países de língua espanhola (Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia) aumentou 5,4%, enquanto a capacidade cresceu 4,5%. Como consequência, a taxa de ocupação doméstica aumentou 0,7 pontos percentuais, chegando a 79,0%.

O tráfego do mercado doméstico no Brasil aumentou 6,5%, enquanto a capacidade diminuiu 0,4%. Como resultado, o load factor doméstico no País aumentou 5,1 ponto percentual, chegando a 78,8%.

O tráfego internacional de passageiros diminuiu 2,2%, e a capacidade diminuiu 8,1%. Como resultado, a taxa de ocupação internacional de passageiros para o mês cresceu 5,0 pontos percentuais, alcançando 84,4%. O tráfego internacional inclui as operações internacionais de LAN e TAM nas rotas entre países da América do Sul e de longo curso.

O tráfego de carga do Grupo LATAM diminuiu 6,6% e a capacidade diminuiu 9,2%. Como consequência, o load factor cresceu 1,7 pontos percentuais, fechando em 61,8%. A diminuição na capacidade de carga é resultado de menor disponibilidade de espaço nos porões de aeronaves de passageiros e de uma menor operação de cargueiros. A diminuição do tráfego de cargas foi provocada pelo enfraquecimento da produção sazonal na América Latina.