Latam Airlines Group

<< Voltar
LATAM obtém lucro líquido de US$258 milhões e consolida tendência positiva em seus resultados do primeiro trimestre
May 02, 2024
  • Grupo registrou receita operacional total de US$ 3,3 bilhões durante o trimestre, um aumento de 18,4% em relação ao mesmo período do ano passado.
  • Companhia também atualizou seu guidance para 2024, aumentando sua projeção de EBITDAR ajustado para entre US$ 2,75 bilhões e US$ 3,05 bilhões, impulsionada por resultados e demanda sólidas no período.

Santiago, 2 de maio de 2024 - O grupo LATAM anunciou seus resultados financeiros do primeiro trimestre de 2024, mantendo uma tendência positiva em seu desempenho operacional e financeiro devido a uma forte demanda, eficiência em custos e uma sólida participação no mercado. Com isso, o grupo obteve receitas operacionais totais de US$ 3,3 bilhões no primeiro trimestre, um aumento de 18,4% em relação ao mesmo período de 2023, explicado principalmente por um aumento de 21% nas receitas de passageiros. O lucro líquido no período foi de US$258 milhões.

O grupo não apenas registrou uma nova margem EBIT ajustada recorde de 13,9% e geração de EBITDAR ajustado de US$796 milhões no período, como também atualizou seu guidance para 2024, com base no forte desempenho do primeiro trimestre e no comportamento positivo da demanda. O grupo projeta um EBITDAR ajustado anual (lucro antes de impostos, tributos, depreciação e amortização e custos) entre US$2,75 bilhões e US$3,05 bilhões, superior ao guidance divulgado em dezembro do ano passado, que ficou entre US$2,6 bilhões e US$2,9 bilhões.

"O trabalho sistemático do grupo LATAM se traduziu em resultados financeiros e operacionais sólidos e consistentes no primeiro trimestre, impulsionados pelo pico da temporada de férias, com tráfego que já superava os indicadores pré-pandemia. Esses resultados nos levaram a atualizar para cima o nosso guidance de 2024, o que, no caso do EBITDAR ajustado, se traduz em um aumento de aproximadamente 10% a 22% em relação ao ano anterior”, afirma Ramiro Alfonsín, CFO do grupo LATAM Airlines.

O grupo LATAM fechou o trimestre com US$2,9 bilhões de liquidez, impulsionado por uma geração de caixa de US$137 milhões no período. Estes números refletem sua forte estrutura de capital, bem como o foco contínuo do grupo na eficiência de custos, o que lhe permitiu manter o seu CASK ex-passageiros de combustível em US$4,3 centavos.

Em nível operacional, nos primeiros três meses do ano, o grupo LATAM transportou 20,2 milhões de passageiros, o que representa um aumento de 19,4% em relação ao mesmo período de 2023. O volume é explicado pelo aumento de 32,5% de passageiros transportados no segmento internacional, 26,0% nos mercados domésticos das afiliadas do Chile, Colômbia, Equador e Peru, e 9,1% no mercado doméstico da afiliada no Brasil, refletindo assim o compromisso do grupo LATAM em fornecer serviços eficientes e confiáveis para seus clientes por meio de uma rede única na região.

Outros marcos relevantes

Entre os marcos, está a aprovação do Conselho de Administração para iniciar o processo de reabertura e relistagem dos ADRs da LATAM na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE). Além disso, na Assembleia Geral Ordinária de 25 de abril, os acionistas concordaram em distribuir dividendos no valor total de aproximadamente US$175 milhões, equivalente a 30% do lucro líquido para 2023. O dividendo, que será de aproximadamente US$0,00029 por ação, será pago em 16 de maio aos acionistas registrados até a meia-noite de 10 de maio de 2024.

No trimestre, a frota do grupo foi reforçada com a incorporação de um Boeing 787-9 e dois Airbus A321Neo. Por sua vez, o grupo foi reconhecido por ter “O melhor entretenimento de bordo da América do Sul” no APEX Awards. Nesse sentido, a LATAM se tornou o primeiro grupo aéreo da América do Sul a adicionar conteúdo Disney+ ao seu serviço de entretenimento de bordo, melhorando a experiência de seus passageiros.

Em termos de sustentabilidade, o programa Avião Solidário continuou a crescer, proporcionando um apoio fundamental para atender a diversas necessidades da região. No Chile e na Colômbia, o foco estava na superação de emergências de incêndio, enquanto no Peru e no Equador o grupo reafirmou o seu compromisso com a saúde. No caso do Brasil, os esforços se concentraram na conservação da biodiversidade, pois o grupo contribuiu ativamente com o transporte de espécies ameaçadas de extinção.

Ainda, foram recentemente divulgados os resultados do estudo “Opções para descarbonizar a aviação na América Latina de forma sustentável”, desenvolvido pelo Programa Conjunto de Mudança Global do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em conjunto com a LATAM e a Airbus. Este estudo tem como objetivo mostrar as evidências científicas atuais para compreender os possíveis caminhos para a descarbonização da aviação em seis países da América Latina: Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México e Peru. Até o momento, foram divulgados resultados preliminares para Brasil e Chile.